Urgências 939 571 715
Abertos todos os dias
das 10h às 22h

Obstruções por corpos estranhos no tubo digestivo

A ingestão de corpos estranhos ou objetos (como por exemplo bolas, caroços de fruta, etc.) ocorre em geral com maior frequência nos cães do que nos gatos, e é mais comum em animais jovens (mas pode acontecer em qualquer idade, também em animais idosos com alterações de comportamento por envelhecimento cerebral ou disfunção cognitiva). Os corpos estranhos podem, dependendo das suas dimensões e formato, passar pelo tubo digestivo sem causar problemas, ou causar obstruções e perfurações, nomeadamente do esófago, da passagem gástrica (saída do estômago) ou do intestino.

Existe uma grande variedade de objetos, e outras estruturas, como caroços de fruta e ossos, que os animais (particularmente os cães, com o seu comportamento alimentar menos discriminatório) podem ingerir.

 

 

 

 

Quando a obstrução ocorre no esófago, o animal pode desenvolver regurgitação, anorexia (ou seja, deixar de comer), ou mesmo dispneia (dificuldades na respiração). O corpo estranho é usualmente removido por endoscopia.

 

Osso no interior do esófago de um cão (a remoção foi feita posteriormente por endoscopia). Nunca dê ossos ao seu animal, uma vez que estes podem causar problemas graves.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

No caso de corpos estranhos que se encontram no estômago, eles podem causar obstrução, ou apenas distensão ou irritação gástricas. A diminuição de apetite ou a anorexia, o vómito, a diarreia ou a diminuição/ausência de produção de fezes são sinais clínicos comuns. É possível induzir o vómito na tentativa de remover o corpo estranho (se este não tiver arestas cortantes ou outras características que tornem esta manobra perigosa), ou então recorrer à cirurgia ou endoscopia. 

Visualização, através de ecografia, de estrutura compatível com corpo estranho no estômago. Outras duas formas de detetar estas situações são a radiografia e a endoscopia.

 

 

 

 

 

 

Se existe obstrução do intestino, normalmente há vómitos; podem ainda surgir anorexia, apatia e diarreia. O tratamento é cirúrgico.

Observam-se nesta radiografia do abdómen de um cão duas estruturas altamente suspeitas de corpo estranho. Por cirurgia confirmou-se a presença de dois fragmentos de plástico, que foram removidos.

 

 

 

 

 

 

 

Corpo estranho preso no intestino, causando uma obstrução total do mesmo. Nota-se a porção dilatada na zona do corpo estranho e a montante deste.

 

 

 

 

 

Os corpos estranhos “lineares” (ex.: fitas, linhas) podem ficar com uma ponta presa, por exemplo, na boca, sendo o resto arrastado em direcção ao intestino. Esta situação leva a um agrupamento do intestino, que fica “franzido” em redor do corpo estranho, causando cortes, que levam geralmente a perfuração e peritonite (o que é muito grave). Estes corpos estranhos são mais frequentes nos gatos.

Os gatos têm uma predileção por objetos lineares, particularmente linhas de costura. Estes objectos devem assim ser sempre mantidos fora do seu alcance.

 

 

 

 

 

Muitos destes problemas podem ser prevenidos evitando o acesso do animal a objetos que possam ser ingeridos, e não lhe oferecendo ossos. Há contudo situações acidentais que os donos, mesmo com todos os cuidados, não conseguem evitar, e é por isso importante levar o seu amigo de 4 patas à consulta o mais precocemente possível se alguma coisa lhe parecer fora do normal. Quanto mais cedo se intervir, maiores são as probabilidades de uma recuperação completa!